“Nunca me senti 100% bem com meu corpo. Tento de tudo pra me esconder, minhas roupas se resumem no velho preto que “emagrece” e roupas enormes, que camuflem tudo de “ruim” possível. Não tenho um pingo de auto estima e me sinto o pior ser humano do mundo, quando estou perto de pessoas bonitas.”

Isso te parece familiar ? Você já sentiu ou viveu isso alguma vez na sua vida ?

À algumas semanas eu resolvi dar um basta e resolvi acabar com qualquer tipo de sentimento e preconceito, relacionados ao meu próprio corpo. Percebi que não é me ocultando, que as pessoas vão mudar suas atitudes ou simplesmente, não me notar. Que o importante é a busca por uma vida saudável e não por um corpo perfeito e, os padrões são muito chatos e eu odeio ser rotulada.

Me inspirei em várias meninas (no instagram, tumblr, vida…) e resolvi que compraria vários biquínis e não deixaria de ir a praia um dia sequer que eu tivesse vontade, por causa do meu corpo ou pela opinião dos outros. Confesso que as consequências dessa simples atitude foram muito maiores do que eu imaginava. Eu achava que só refletiria em mim e apenas na forma com que me comportaria em relação à praia (pra quem não sabe, moro bem próximo ao mar e, apesar disso me privava de frequentar por conta dessa situação) mas, o que mudou não foi só um único pensamento, mas a forma com que enxergo a vida e as pessoas ao meu redor.

As pessoas sempre vão achar um defeito em você (mesmo que ele não exista), só pra se sentirem melhor, porque é mais fácil criticar o outro que aceitar a si mesmo. É mais fácil pregar o preconceito que o amor próprio. É aquela velha frase clichê, mas super verdade: “As pessoas querem te ver bem, mas nunca melhor do que elas.” E não importa se você é branca, negra, gorda, magra, alta, baixa… o pensamento de um outro ser em relação à você não deve prevalecer, mais do que o seu pensamento, o seu sentimento, sobre você mesma.

Eu resolvi me expor, não pra chocar a sociedade ou como forma de protesto, mas pra provar pra mim mesma e fixar em mim, que não importa o que os outros pensem ou falem, o amor que sinto por mim mesma é maior, a gratidão que sinto pela vida que eu tenho é maior, a certeza de que as pessoas que criticam não sabem um terço sobre quem eu realmente sou é maior.

Eu aprendi a me amar, como eu estou. Não por estética mas, pela saúde, hoje busco ter uma vida mais saudável e consequentemente chegar ao peso ideal, que me permita viver plenamente e realizar algumas coisas que hoje não posso, por conta disso.

O que eu quero dizer pra todas vocês é que não fiquem focadas na estética, ou no que as pessoas vão falar ou pensar sobre você, busquem viver da melhor forma possível, procurem estar em dia com sua saúde, tenham bons hábitos e se aceitem como estão. Vocês são lindas com o corpo que tiverem.

*Esses dias postei em alguns grupos no facebook sobre minha experiência num dia de praia. Em cada canto que eu olhava, pelo menos 2 meninas não se sentiam à vontade com seus corpos, e era visível. Gostaria muito que essas meninas aprendessem tudo o que eu aprendi, mas provavelmente elas não leiam esse post. Mas eu sei que em algum lugar, alguém vai se identificar e talvez se inspirar como eu me inspirei e mudar a maneira de pensar. Fiquei muito feliz porque, algumas meninas desses grupos que publiquei sobre essa situação, me procuraram e agradeceram por eu ter falado sobre o assunto, pediram algumas dicas pra mudar esse comportamento e até dicas de roupas e onde eu comprei meus biquínis. Algumas ainda me mandaram e-mails contando suas histórias e foi lindo demais poder acender uma chama no coração de cada uma delas à se aceitar como são.

Eu entendi que não posso me calar, preciso compartilhar isso com o máximo de pessoas que eu puder, porque não só eu, ou você sofremos com a falta de auto estima e a pressão da sociedade pra se encaixar nos padrões de beleza, mas várias outras meninas também.

Me ajudem a compartilhar esse post ao máximo de pessoas possíveis e talvez possamos ajudar outras que estejam na mesma situação.

Processed with VSCO with 6 presetProcessed with VSCO with 6 presetimg_20161230_113843_258img_20161230_115028_513Processed with VSCO with 6 presetProcessed with VSCO with 6 presetProcessed with VSCO with 6 presetProcessed with VSCO with 6 presetProcessed with VSCO with 6 presetProcessed with VSCO with 6 presetProcessed with VSCO with 6 presetimg_20161225_155922_881

Eu espero, de coração que tenham gostado desse “desabafo”. Me contem suas histórias e me digam se querem mais posts relacionados ao tema. Caso não queiram se expor, me mandem por e-mail.

Não deixem de me seguir no instagram @lyzacavalcante. Vou postar mais fotos por lá!

Grande beeeeeeeeeeeeeijo, até a próxima.

6 thoughts on “AMOR PRÓPRIO E AUTO ESTIMA – O que eu fiz pra me aceitar + FOTOS DE BIQUÍNI”

  1. Eu também tenho baixa auto estima e algumas vezes, por norma, na passagem de ano, tentava mentalizar-me que ia mudar e ia começar a cuidar mais de mim e a aceitar-me. Algumas vezes até começava mas acabava sempre por desistir. Mas este ano vai ser diferente, inscrevi-me num ginásio, vou começar a ter uma alimentação mais equilibrada, basicamente vou tentar ter uma vida mais saudável. Não pelos outros mas por mim. Eu tenho que sentir-me bem comigo mesma, estimar-me e preocupar-me com a minha saúde. Espero que corra bem a tua conquista. Beijo bom.

    https://miudadescompensada.blogspot.pt/?m=1

  2. Menina ! Que texto maravilhoso ! Meus parabéns pela sua coragem de sair da ‘zona de conforto’ para a vida real, se você é assim, você só tem de agradecer pela sua vida, os comentários dos outros são detalhes até desnecessários, o que importa é o que você vê no reflexo do espelho, se vê apenas uma menina gorda, aí digo, você precisa de ajuda, mas se consegue enxergar uma mulher linda com um corpo único cheio de próprios charmes, aí você merece minha admiração, aceitação, mais do que aparência devemos levantar a cabeça e reconhecer que quem somos de verdade, muito além de um corpo somos mulheres, mulheres que merecem respeito é reconhecimento !

  3. .inda!!
    E todas nós somos, cada um com o seu jeito, afinal ninguém é igual.
    Hoje infelizmente as pessoas tem um “querer” de ser perfeitas de acordo com o que a mídia fala, mas esquece que ninguém chega a ser assim, até as mais magrinhas sofrem ofensas. Na verdade temos que gostarmos de si como é. E aceitar o outro como é a diferença que é interessante 5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas